Secretaria de Cultura promove a exposição “Sob a Luz da Música”

6Foi lançada no último dia 21, no Corredor Cultural Wellington dos Santos “Irmão”, na Secult, a exposição “Sob a Luz da Música” – em homenagem a José Carlos Teixeira, produtor cultural que dedicou a vida às atividades artísticas dentro e fora de Sergipe. São pinturas, esculturas, fotografias e instrumentos musicais, sob a curadoria do procurador do estado, Mário Britto.

Durante vernissage, personalidades ligadas a música e a arte foram homenageadas, recebendo Menção Honrosa. Entre elas o maestro, Rivaldo Dantas; a presidente da Sociedade Filarmônica de Sergipe (Sofise), Olga Andrade; o maestro, Valtênio de Souza; o maestro, Claudemiro Xisto, violonista erudito, Antônio Alvino Argollo; e o músico, Valtinho do Acordeon.

Impossibilitado de receber a homenagem, devido a tratamento de saúde, José Carlos foi representado pela sua esposa, a também produtora cultural e ex-secretária de Estado da Cultura, Maria Eugênia Teixeira. “Sem falsa modéstia, acredito que José Carlos realmente é merecedor desta homenagem, por tudo que ele fez pela cultura sergipana e, sobretudo, pela reestruturação da Orquestra Sinfônica de Sergipe. Acho que a melhor homenagem que podemos prestar a ele é preservando e prestigiando a Orsse”, afirmou.

“Neste corredor estamos prestando uma justa homenagem a uma pessoa que dedicou sua vida à música e à produção cultural. Sem duvida nenhuma, as orquestras são essenciais para a formação de uma nova geração de apreciadores e executores de música. Entendemos o valor da produção musical popular, mas da mesma forma sabemos, que as orquestras enriquecem a qualidade musical em Sergipe”, enfatizou o secretário de Estado da Cultura, Elber Batalha

Participando pela primeira vez de uma exposição, a artista plástica Carol Barcelos disse ter gostado da possibilidade de interação com outros profissionais, que o Corredor promove. “Acho interessante esta oportunidade de ver o trabalho de outras pessoas, com a mesma temática. Da mesma forma, que é interessante para eu ver como as outras pessoas e artistas percebem o meu trabalho”, argumentou.

Também participam desta exposição os artistas visuais, Deolando Vieira, Elias Santos, Laís Alves, Paloma Santos, Pricilla Carvalho e Vitor Fabiano, todos com pinturas), Snapic (com fotografias) e Antônio da Cruz e Willy Valenzuela (com esculturas), além de instrumentos musicais históricos do grupo musical Renantique.

Durante o lançamento da exposição, a Secult recebeu oficialmente a doação de uma exposição promovida pela Fundação Banco do Brasil. A mostra, que tem 27 réplicas espelhadas por todos os estados da Federação, é fruto do Projeto Memória, em homenagem à Lélia Gonzalez com referência à cultura afro-brasileira. Com 20 banners ilustrativos, a exposição será instalada na Biblioteca Pública Epifânio Dória. A doação foi entregue pela coordenadora estadual do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade, Sandra Sena.

A cerimônia encerrou com a participação do Coral da Petrobrás, sob a primorosa regência do Maestro Sérgio, que apresentou a “Cantada Natalina”, clássicos do Natal, como “Noite Feliz” e “Então é Natal”. A exposição segue aberta ao público durante o mês de janeiro, com horários de atendimento de segunda à sexta-feira, das 7h às 14h na sede da Secult, localizada na Rua Vila Cristina, 1051, no Bairro 13 de Julho, Aracaju.

Última atualização: 22/12/2015 10:01.